Siga-me
baby-203048_1280

O cuidado!

Por Helena Andrade   /     out 24, 2015  /     A arte da escrita  /  

Nesta semana, fui instigada a criar um texto sobre “cuidado”, para ser utilizado na Semana de Prevenção do AVC (Acidente Vascular Cerebral), de uma Unidade de Saúde no município de Campinas, com pacientes em tratamento para reabilitação.

Como este é um tema que convivo diariamente, aceitei o desafio e compartilho-o com vocês.

Desejo que estas simples palavras possam trazer reflexões sobre o conceito do que é cuidar.

” Cuidado: O que dizer sobre esta palavra que instiga tantos significados? Palavra que engessa e que acolhe, que oprime e acalenta. O cuidado com o corpo, o cuidado com as relações, o cuidado com o outro, nesta vida atribulada, repleta de desafios, stress, dificuldades, agressões, ultrajes e indignações.

A vivência do dia a dia que dificulta o cuidado de si e consequentemente nos limita no cuidado com o outro.  Como lidar com as cobranças internas, quando a mídia nos empurra o tempo todo para o caos e ao mesmo tempo incita-nos a buscar a saúde, qualidade de vida, respeito ao meio ambiente, o cuidado com a família.

Nesta luta pela sobrevivência, a capacidade de olhar para dentro, conhecer nossas limitações, defeitos, anseios e sonhos pode nos transformar. Quando aprendemos a nos reconhecer, passamos também a nos amar. E amando seremos capazes de aceitar o outro e conviver também com suas limitações, defeitos, anseios e respeitar seus sonhos.

Quiçá possamos trazer harmonia as nossas convivências, ainda que em muitos momentos elas exijam dureza nas ações e tomada de decisões. Porém isso pode acontecer com doçura, leveza, gratidão e acolhimento.  Somos seres capazes de pensar, refletir, transformar e principalmente amar. Façamos desta nossa capacidade algo a contribuir para nossa existência delicada e evitemos assim as agressões ao próprio corpo. Explosões, bloqueios e acúmulos se refletem em nosso organismo como reflexos daquilo que está além do suportável. Neste turbilhão de emoções e sentimentos, adoecemos.  A vida merece mais que isso. Nos podemos ser mais que isso. Ame-se, ame e deixe ser amado. No final será somente isso que contará.”

Helena Andrade

 

 

2 Comentários

  1. Nina Campos Says: 28/10/2015 19:46

    Querida e inspiradora amiga! Gostei demais de sua abordagem para o tema cuidado.
    No início nos fazendo refletir sobre o cuidado de si mesmo e em relação ao outro, que me remeteu à qualidade das relações que estabelecemos com aqueles que nos cercam;

    Depois, contextualizando com questões ideológicas que se configuram através de paradoxos da contemporaneidade;

    Passando pela questão da postura pessoal de busca pelo autoconhecimento, que acho essencial e sem o qual pra mim a vida não faria sentido;

    Ficou muito claro também uma postura holística do cuidado e um entendimento em amplo do conceito de saúde que acho sempre importante socializar e na hora me fez lembrar sua formação em Yoga. Ficou tão evidente , que se eu não soubesse deste detalhe iria perguntar.
    Tá vendo só a vantagem de conhecer a biografia da escritora rsrsrs….

    Chegando ao fim temos um verdadeiro hino em defesa da vida, das relações entre corpo, mente e espírito, aspectos que tem tudo a ver com promoção à saúde.

    Outra coisa que gostei em especial foi a questão de uma postura de vida que evita as agressões deliberadas ao nosso próprio corpo. Concordo bastante com isso. Parto do princípio que não possuímos governabilidade sobre muitas das inúmeras agressões de toda natureza que sofremos no cotidiano; em alguns casos sofremos algumas agressões constantes simplesmente por causa de uma posição passiva, de indolência , porque temos preguiça de freqüentar sistematicamente a academia, tomar a quantidade de água necessária, dormir número de horas que o corpo solicita.
    E além disso tudo alguns ainda que se sentem no “direito” de fumar, beber além do social, dirigir embriagado, enfim de ter atitudes ativas de violência para consigo mesmo! Não dá pra entender o tipo de apreço que estas pessoas têm pela vida.

    Enfim o link com o amor, numa dimensão além das paixões por “coisas” ou por aqueles que pensam de forma semelhante a nós, situam-se na mesma classe social que nós, freqüentam os mesmos clubes, igrejas, etc….porque isso não é difícil, mas um sentimento que tem a ver com o conceito de alteridade, que pra mim é bastante importante em relação ao cuidado profissional, exercido pelos profissionais de saúde.

    Aliás, este ponto seria um que poderia talvez acrescentar. A questão do cuidado que extrapola os laços familiares e se insere no campo profissional, que tem a ver com a construção histórica e social do médico, do enfermeiro, enfim, muita literatura neste sentido vem a minha mente neste momento.

    Então, amiga, gostei de verdade! foi mais uma vez muito gratificante ler algo produzido por você , que me toca especialmente o coração…
    Obrigada pela confiança e oportunidade de compartilhar mais uma vez com você minhas observações de leitora! Super beijo, flor!!!
    Nina Campos

    Reply this comment
    • Helena Andrade Says: 29/10/2015 21:17

      Querida amiga!

      Sua análise de cada expressão deste texto, trouxe mais clareza a esta incrível forma de nos interagirmos com carinho.

      Obrigada por agregar e compartilhar este seu saber diferenciado sobre o tema.

      Helena

      Reply this comment

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*